CRSM – Centro de Referência da Saúde da Mulher
11

Ginecologia Geral

A Gerência de Ginecologia Geral do Centro de Referência da Saúde da Mulher (CRSM) do Hospital Pérola Byington, em São Paulo, coordena os setores de Ginecologia Cirúrgica, Ginecologia Clínica, Endoscopia Ginecológica, Uroginecologia, Pronto Atendimento e Sexualidade.

Os setores de Ginecologia Cirúrgica e Endoscopia atendem prioritariamente afecções ginecológicas de alta complexidade, sendo realizadas aproximadamente 2.000 consultas ambulatoriais e 250 procedimentos cirúrgicos por mês. Além disso, atua em parceria com o setor de Oncologia Pélvica e Mastologia na confirmação do câncer da mulher, bem como auxiliando no seu tratamento interdisciplinar.

O Pronto Atendimento prima pela excelência do atendimento à mulher vítima de violência sexual. Prioriza também a assistência às complicações oncológicas e intercorrências clínicas de pacientes com câncer ginecológico e mamário acompanhadas no CRSM. Realizam-se aproximadamente 2.000 consultas por mês com essas características.

O CRSM conta ainda com equipe qualificada para o tratamento da disfunção sexual feminina.

A Gerência de Ginecologia Geral contribui na formação e no treinamento dos residentes de Ginecologia do CRSM (Residência Médica do SUS). Atuam em todas as esferas, sempre supervisionados por preceptores e assistentes altamente qualificados, prospectando as mais modernas e avançadas técnicas com índices/parâmetros referenciais mundiais. Residentes de ginecologia, oriundos de diversas instituições públicas de ensino, colaboram também nesta gerência.

O setor de Endoscopia Ginecológica conta com a presença de 6 estagiários por ano, especializando-se nas áreas de videolaparoscopia e videohisteroscopia.

Rotina Ginecológica – Prevenção do Câncer na Mulher

O CRSM – Hospital Pérola Byington, seguindo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e diretrizes do Instituto Nacional do Câncer (INCA), preconizam que o rastreamento do câncer na mulher seja feito da seguinte maneira:

Papanicolaou (ou citologia oncológica cérvico-vaginal)

A coleta do exame deve ser iniciada 1 ano após os 25 anos de idade. Após 2 coletas consecutivas negativas, com intervalo de 1 ano, o exame pode ser repetido a cada 2 ou 3 anos até os 64 anos de idade.

Colposcopia

Não é considerado exame de rastreamento do câncer de colo do útero. Deve ser realizado apenas após alteração do Papanicolaou que sugira infecção pelo HPV (Papiloma Vírus Humano) ou lesão precursora de câncer.

Mamografia

Deve ser preferencialmente realizada após os 50 anos de idade, e bianualmente a seguir. Antes dos 40 anos, a mulher deve apenas ser submetida a exame físico mamário pelo ginecologista, no mínimo 1 vez ao ano. Pacientes com história familiar de câncer mamário (mãe ou irmã) podem iniciar o rastreamento com mamografia aos 35 anos de idade, ou conforme recomendação médica.

Ultrassom Mamário

Não é considerado exame de rastreamento do câncer de mama. Após exame físico suspeito ou alteração mamográfica, pode ser solicitado pelo especialista para elucidação diagnóstica.

Ultrassom Pélvico ou Transvaginal

Tem indicação individualizada. Pode ser solicitado pelo especialista que suspeite de alguma anormalidade no exame físico ginecológico, na investigação de sangramento uterino anormal ou dor pélvica na mulher. Não é necessário realizar este exame rotineiramente, inclusive na pós-menopausa.

Histeroscopia

Mulheres menopausadas, aquelas sem menstruação há mais de 1 ano e, que apresentaram sangramento vaginal e, ao ultrassom pélvico, for visibilizado espessamento endometrial, devem obrigatoriamente realizar o exame de histeroscopia. Através desse método confirma-se ou não o câncer de endométrio. Pacientes na pré-menopausa que se queixem de sangramento uterino anormal, também com achados ultrassonográficos suspeitos, são também elegíveis à realização do exame.

Os exames preventivos básicos, como o Papanicolaou e a mamografia, bem como a investigação primária de afecções ginecológicas, como o ultrassom, devem ser realizados preferencialmente na rede básica de saúde e, após forte suspeita ou detecção do câncer ginecológico propriamente dito, a paciente deve ser encaminhada ao CRSM.

11

Dr. Luís Carlos Sakamoto
Chefe de Núcleo

11

Médicos

Ginecologia Clínica

  • Dra. Beatriz Bertini Galvão
  • Beatriz Bertini Galvão
  • Cleunice Naka Jouti Orita
  • Daniela Caetano
  • Deborah Steinmetz Elias
  • Heloisa Miriam M. C. Rodrigues
  • Zenaide Suely Alves Moreira da Silva

Laser

  • Renata Belloto

Ginecologia Cirúrgica

  • Maria Cecília Rossi
  • Maria Lucia Savioli Zamataro
  • André Veloso

Planejamento Familiar

  • Maria Eugênia Simões Onofre

Sexologia

  • Gustavo M. Dutra da Silva
  • Nelson Gonçalves

 

Uroginecologia

Glene Rodrigues Faria

Solange Dias Pereira Cassiano

 

Pronto Atendimento

Renata Fernanda de Oliveira Pereira  

 

Uroginecologia

Michelle Pongiluppi Herbst

Responsável técnico

Estamos na web

Siga as nossas redes sociais e fique por dentro das novidades sobre o Pérola.